domingo, março 22

Cores da Corta

Click AMPLIAR
O sol rasante do final do dia, na "Corta" da Mina de S. Domingos, faz realçar os contrastes de cor do Alentejo.

«A Mina de São Domingos integra-se na Faixa Piritosa Ibérica que constitui uma das mais importantes regiões metalogénicas de sulfuretos maciços polimetálicos à escala mundial. Encontra-se inactiva desde 1966 por alegado esgotamento das suas reservas.
Outrora o minério extraído 24 horas por dia, era exportado principalmente para Inglaterra. Entre 1855 e 1966, foram retirados à serra de S. Domingos cerca de 25 milhões de toneladas de minério.
Dois tipos de extracção marcaram a exploração:

  1. Subterrânea - levou à criação de um intrincado sistema de galerias, organizadas por pisos separados entre si cerca de trinta metros, até à profundidade de 405 metros, a partir do piso 120.
  2. "A céu aberto" - realizada no local onde hoje está a "corta", iniciou-se em 1867 e terminou apenas vinte anos depois, com a remoção de mais três milhões de metros cúbicos de terras, numa área de cerca 42.000 m2 e atingindo uma profundidade de cerca 100 metros.»
Excerto do artigo: "Mina de S. Domingos - uma intervenção urgente!"
Publicado: "Young Reporters for the Environment"
Autoria: "Ana Cruz, Ana Sousa, Rita Pereira" - 12ºano, Escola EB2,3 Sec. S. Sebastião

2 Comentários:

Blogger Kim disse...

Muito Bem!
Não conheço estas minas, só as da Panasqueira!
Estás a aguçar-me o apetite

23/03/09, 22:24  
Blogger BLOGADOR disse...

Já lá passei férias vários anos seguidos. Um casal amigo tem lá casa. No Verão, quando estão 40º celsius em Beja, nas Minas estão 42 ou 43. Tem uma praia fluvial muito boa e é ali que se encontram secretos de porco preto a sério.

23/03/09, 23:48  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial