domingo, abril 5

Boa Tarde Cidade


A cidade é Lisboa, obviamente, não é didfícil perceber, apesar do vulto do D. Pedro mais parecer um personagem de filme de terror - talvez o Conde Drácula.
O difícil foi fazer a fotografia, quer dizer, a composição.
Se não vejamos:

«no princípio de Abril um claro dia de sol, não muito quente, tempo morno de "Avril au Portugal", ideal para caminhadas na cidade velha;
um dia de semana, dia de trabalho, daí o regional prato do dia, "Mão-de-Vaca com Grão" e meio jarro de tinto da casa para o almoço, bem cedo, numa "casa-de-pasto" na Travessa do Forno, atrás do edifício do Teatro Nacional D. Maria;
repostas as energias necessárias para atacar a subida do "Beco de S. Luís da Pena", que começa mesmo ao lado da "Casa do Alentejo";
passa pela discreta entrada dos artistas do Coliseu dos Recreios e pela sede do G. D. da Pena e desemboca na Calçada de Santana, mesmo ao lado da casa onde Luis de Camões, viveu os seus últimos dias;
a meio da subida das não sei quantas dezenas de escadinhas, olhar para trás e... aqui está!»

2 Comentários:

Blogger Maria disse...

Gostei da foto e da prosa. Escusavas de falar da mão de vaca com grão. Só de pensar nisso, fico enjoada. O Chefe adora, o João também, mas os outros e eu, nam o cheiro.
Beijinho e boa digestão.

06/04/09, 14:23  
Blogger O Bicho disse...

Eu também, até há meia dúzia de anos, não gramava esse acepipe tão português.
Um dia, em Alcácer do Sal, provei o único prato-do-dia que havia num restaurante caseiro e... só vos digo que, com aquele pão alentejano (ali da padaria de Sta. Suzana) não ficou nem uma gota de molho na travessa.

06/04/09, 20:03  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial