quinta-feira, maio 21

Bombeira do Guadiana

Esta Bombeira não pertence ao corpo de "Soldados da Paz", não apaga incêndios, antes pelo contrário. É uma herdade à beira do Guadiana, a caminho da qual (obrigado ao J. Pulido Valente pela orientação) se disfruta de uma vista magnífica sobre a vila de Mértola.

Como a minha especialidade é mais beber do que descrever, recorro às palavras de um especialista:

«Bem lá no Alentejo, que dizem ser profundo, árabe, nascem os vinhos da Herdade da Bombeira. Vinhos da responsabilidade enológica de Paulo Laureano.
Vinhos das Arábias, como é o "
Bombeira do Guadiana, Trincadeira 2005".
Mostrou-se ao mundo de forma muito sisuda. Introvertido. De poucas palavras. Quase que me fazia largar o copo. Fiquei tentado a não perder mais tempo com ele. Ainda bem que voltei atrás com as minhas intenções. Revelou possuir um carácter misterioso e desafiante. Conseguiu juntar a austeridade com a jovialidade de forma quase irrepreensível. O floral, a esteva, a terra quente ofereciam qualquer coisa que cativava, que prendia, que obrigava a ir cada vez mais longe. Será que o génio da lamparina tinha saído da sua clausura milenar?
Teria saído sem ter dado conta? Ou alguma princesa árabe estaria por ali, envolvendo-me na sua dança hipnotizante, rodopiando em meu redor, soltando suspiros perfumados por jasmim e alfazema?
Nota Pessoal: 17»

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial