domingo, janeiro 31

Postal de Lisboa (27)

O CÉU DE LISBOA


Este postal, que mostra o belo luar de Janeiro sobre o Céu de Lisboa, serve para ilustrar uma estória, quer a narrativa de uma sucessão de factos (neste caso verdadeiros) sem qualquer relevo histórico.
Data: final do ano 2009.
Local: aeroporto internacional de uma ilha no Golfo do México.
Protagonistas: dois casais tradicionais (heterosexuais).
Factos: aguardava, com a minha companheira de vida (e de viagem) a chamada para o voo de regresso a Lisboa; enquanto íamos apreciando e apreçando os artigos do artezanato regional expostos no "free shop", tecíamos naturalmente os nossos comentários acerca dos trabalhos.
Um casal, de entre muitos outros, desconhecidos estava próximo de nós; uma elegante loiraça com todo o ar de "camone" e um senhor dos seus cinquenta e tal anos, um verdadeiro "Errol Flynn", mas em ponto grande.
Às tantas, o homem dirigiu-nos a palavra em português; com uma pronúncia estranha, um tudo nada semelhante àquela que eu identifico como típica dos portugueses, não Açorianos, emigrados no norte dos EUA, ele perguntou:
- «São portugueses de Portugal?»
Parece uma pergunta estúpida, mas não é. Satisfiz a dúvida ao senhor, acrescentando «de Lisboa» à resposta.
- «Só estive lá uma vez, de visita!» Disse ele. E esclareceu:
- «Nasci num lugar sem nome, junto ao Mar, na Ria de Aveiro. Daí, há muitos anos, parti a correr mundo e fui andando até chegar ao Canadá, onde fiquei.»
À minha pergunta, se também ía no avião para Lisboa, disse:
- «Não, ainda não é desta vez que volto a Portugal. Apesar da época de Natal, não consegui tempo livre.
Venho da Venezuela onde fui tratar de assuntos de uma família portuguesa que represento como Advogado e estou em trânsito para Toronto, onde tenho uma "sessão de tribunal" amanhã.
Mas espero regressar a Lisboa um dia, nem que seja só para tornar a ver o pôr-do-sol sentado a beber um aperitivo, em cima do Céu de Lisboa. É uma vista magnífica!»
Agora, confesso meus amigos, que só ontem quando tirei esta fotografia é que percebi realmente o que é que o nosso Dr. "Cagaréu" de Toronto queria dizer quando falou da saudade de "se sentar no Céu de Lisboa".

Etiquetas:

5 Comentários:

Blogger O Bicho disse...

Correcção: "artesanato"

01/02/10, 14:33  
Blogger Maria disse...

Quem viu o céu de Lisboa ao luar, uma vez, tem sempre vontade de o voltar a ver.
Mas o teu "cagaréu" esqueceu o que é a Ria de Aveiro numa noite de luar. Tem feitiço e, nunca mais se esquece. "Entre les deux, mon coeur balance"
Beijinho
Maria

02/02/10, 10:41  
Anonymous Anónimo disse...

Ele que venha e traga a "loiraça".. pode ser que tambem fique a ver Navios... No tejo.. ;)

Pantas

02/02/10, 17:28  
Anonymous Rosé disse...

Olá rapaz, gostei, e realmente o céu de Lisboa visto desse lugar é lindo, é diferente, deslumbrante,sem igual. Beijo da Maria das Caldas

03/02/10, 08:35  
Blogger Kim disse...

Oh Gigi! Devias ter-lhe falado do Pôr de Sol da Praia das Maçãs.
Se o homem tivesse oportunidade de visitar os teus "Bom Fim de Semana" ficaria fã e voltaria mais cedo.

03/02/10, 23:54  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial