sábado, novembro 15

Secalhar


eu continuo a passar por lá. É uma mania que não perco, a Feira da Ladra.

- Olha ali uma caixa cheia de maçanetas de porta. Quanto será que custa aquela ali, de latão, bem redondinha? O que é que isso me interessa, eu não vou comprar, não preciso de nenhuma maçaneta!
- E terminais para os varões dos cortinados, mais uma caixa cheia. Claro que também não preciso - se precisasse, provavelmente comprava-os no "Aki" ou no outro ao contrário, como é?... isso "Ikea". Secalhar(*) até são mais baratos.
- Um abafador, duas bonecas bem vestidas, uma saboneteira, um tachinho de esmalte para cozer as batatas, uh... o que é aquilo? Formas de sapateiro, pois é, há por aí muita gente que nunca viu tal coisa. Não admira, também já não há sapateiros. Será que alguém vai comprar isto?
- Plainas de marceneiro, apetrechos admiráveis, muito difíceis de afinar e manusear. Quando era puto, lembro-me de ficar a ver os marceneiros (ou carpinteiros) a aplainar as portas para corrigir imperfeições. Aquele movimento, espécie de "swing", que só os artistas conseguiam - rápido, seguro, preciso, a força controlada o suficiente para raspar apenas umas lascas no sítio mais saliente. E depois passar os dedos pela superfície raspada e mirar - perfilar a aresta frente á vista desarmada e analisar o resultado.

E há mais, muito mais coisas que não faz mal recordar e depois ainda há o seguinte:
caros amigos e leitores (são poucochinhos eu sei, mas ainda ssim insisto), mexam-se, só lhes faz é bem, andar, fazer uma passeata a pé, em Lisboa. Ao Sábado à tarde, têm um Centro Comercial ao Ar Livre, sem Pisas nem McDonalds, mas têm a bela da Bifana e... há pouco trânsito na cidade velha - a poluição é fraquinha, a vista é bonita, o sol é uma maravilha, Lisboa é... nossa!
Aproveitem enquanto podem. Depois, não digam que ninguém os avisou...

2 Comentários:

Blogger O Bicho disse...

Secalhar, enganei-me?
Não.
Desta vez não é se calhar.

15/11/08, 19:41  
Anonymous Anónimo disse...

Se eu tivesse ido à Feira da Ladra e, visse as bonecas, não tinham lá ficado. Bonecas que, me cheiram a infância, não me escapam. Até no "Marché aux Puces" de Saint Ouen, comprei duas. Que saudades de bonecas, bonecas! Que ódio, das Barbies, pretenciosas, parecidas com a Lili Caneças! E o pior, é que já tenho comprado algumas para a minha neta! Faço um sacrificio, que só eu sei.
Maria

15/11/08, 19:53  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial