quarta-feira, novembro 26

O Estorvo


- «Gaita pá, estou farto!»

Toda a tarde aqui à espera que aquele trambolho de navio transatlântico de passageiros que se vê além acostado ao cais de Alcântara, zarpe dali para fora.
É que aquele monstro, só está ali a estorvar, a tapar a vista - assim não consigo a apreciar os magníficos aglomerados de contentores que dão mais colorido à paisagem da beira-rio de Lisboa.
- «Bolas, então para que é que haviam de pôr aqui um banquinho no alto do monte? Se não era para ver a maravilha dos contentores, não valia a pena, né..?»

Etiquetas:

3 Comentários:

Anonymous Anónimo disse...

A NÃO PERDER
SÁBADO 29/11/08 22H30 SALA PRADO COELHO
FÁBRICA BRAÇO DE PRATA

MARTA PLANTIER (VOZ) E LUIS BARRIGA (PIANO)

Simplesmente FAN TÁS TI CO !
Depois não digam que não avisei com tempo
xl

26/11/08, 21:30  
Anonymous Anónimo disse...

Oh XL se tiver tempo quer ver se não vou.

Seve

27/11/08, 15:22  
Anonymous Anónimo disse...

O Fado do Banco

Neste banco tão jeitoso
A Severa e o Vimioso
Levavam dias sentados.
Ela olhava ao longe o Tejo
O Conde dava-lhe um beijo
E depois cantavam fados.

Às tantas já chateados
E um pouco envinagrados
Pois tinham os dois mau vinho
Ele alçava da mãozinha
Dava-lhe uma estaladinha
Ia pra casa sózinho.

A pobre da rapariga
Lá cantava uma cantiga
E então cheia de dores
Lá voltava à Mouraria
E já nem o Tejo via
Por causa dos cotentores.

Maria

28/11/08, 23:54  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial