sábado, janeiro 17

Noite de Lisboa (3)


Encontrei - nos arquivos da CML - mais uma, ia dizer preciosidade, mas não é tanto assim.
É apenas mais uma memória, excelente imagem de um momento da noite do Rossio de há 40 anos, mais ou menos.

É um complemento da outra foto publicada no passado dia 15, pois nesta conseguimos ver alguns dos anúncios, iluminados.

5 Comentários:

Anonymous Anónimo disse...

Como era lindo e como tinha "charme" o Rossio deste tempo!
E é agora que Lisboa vai ser capital do "Charme". Agora, com ruínas e casas vazias, com sem abrigo em tudo o que é arcadas, desde o "Teatro Nacinal" ao Terreiro do Paço. Viste uma foto da "Visão" há duas semanas? Mas vamos ter mais não sei quantos hoteis de Charme. Para quê? Para os turistas verem ao lado os "hoteis de miséria", feitos de cartão?
Que saudades da Lisboa antiga, a quem bastava o Tejo para ter Charme!
Meu Deus, como estou velha. Até já digo coisas que me irritavam nos outros. O que eu detestava a palavra "Antigamente", que agora repito a toda a hora.
Maria dos Alcatruzes

18/01/09, 10:50  
Anonymous jrom disse...

Maria a mim nunca nada me embaciou os olhos e eu também detesto aquela já gasta frase "de que no meu tempo é que era bom".
Fui groom de hotel faz 50 anos fui cicerone em Lisboa para muitos turistas.
Próximo deste ultimo Natal fui ao Parque Eduardo Sétimo e fiquei desiludido pelo estado actual de conservação, daquele lindo local no passado.
N baixa, também o agradável cheiro das pastelarias e restaurantes foram substituídos pelo cheiro a urina e outras coisas,já não falando no estado de conservação dos edifícios e pavimentos nas ruas.
Mais vale sêr do que parecer.
Beijinho Maria......Caldas

18/01/09, 22:36  
Anonymous Anónimo disse...

jrom:
Já que falas em cheiros de Lisboa, lembras-te do cheirinho das "iscas", da rua do Arsenal? Se a ASAE lá fosse, fechava tudo, mas que eram uma delicia, eram.
O cheiro de café e flores, do Rossio, o cheiro a violetas, da Rua do Carmo...
E depois digo que não sou saudosista!
Maria dos Alcatruzes

18/01/09, 22:49  
Anonymous jrom disse...

Deduzo que a frase saudosista, e ter saudades e não é isso que traz o mal ao mundo,se não se misturar com política.
Em 1958,59,60 fazia a minha vida toda em Lisboa ligado à indústria hoteleira,ainda hoje poderia descrever toda a cidade que conheci até na noite ,embora eu ainda fosse uma criança posso dizer que devido às circunstâncias fiz ali a minha "universidade"e o que aprendi ainda não li nos livros embora já tenha lido alguns.
Se comparar o número de jovens perdidos nos dias de hoje com o que toda a gente sabe , mesmo assim tive muita sorte.
Lisboa tinha fascínio
A mim ninguém me proíbe de ter saudades,porque paguei com o corpo o que era impróprio desde ser retirado da escola,guerra,mas em todas as coisas más tiramos elações e até podemos fazer comparações em relação aos resultados e aí muita gente não aceita por muitas razões sobejamente conhecidas

18/01/09, 23:26  
Blogger Rodrigo Kowalczuk disse...

eu brasileiro, simples,que aprecia muito a história dos meu antepassados fiquei esfuziante com a beleza e o charme dessa linda Lisboa, foi curta minha estadia, mas lucrativa para minha visão que jamais esquecerá dessa linda e charmosa cidade, rica em histórias e prédios incríveis, o Rossio,continúa lindo e guarda uma história para posteridade. amo LISBOA

06/03/09, 03:02  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial