segunda-feira, novembro 1

coisas de antigamente


Esta manhã, um grupinho de miúdos, bateu-me à porta a pedir "Pão-por-Deus".

Era tradição, em Portugal, no dia de Todos-os-Santos as crianças sairem à rua em pequenos bandos para pedir o "pão-por-deus" de porta em porta. Ao pedir recitavam versos e recebiam como oferenda: pão, broas, bolos, romãs e frutos secos, nozes, amêndoas ou castanhas, que colocam dentro dos seus sacos de pano.

«Esta tradição teve origem em Lisboa em 1756, um ano depois do terramoto que destruiu a cidade, no qual morreram milhares de pessoas da população que era na sua maioria pobre, e então ainda mais pobre ficou.

Como o dia do terramoto coincidiu com uma data com significado religioso (Dia dos Santos), no dia em que se cumpria o primeiro aniversário do terramoto, a população aproveitou a solenidade do dia para desencadear, por toda a cidade, um peditório, com a intenção de minorar a situação paupérrima em que viviam.
As pessoas, percorriam a cidade, batiam às portas e pediam que lhes fosse dada qualquer esmola, mesmo que fosse pão, dado grassar a fome pela cidade. E as pessoas pediam: "Pão! Por Deus".
Esta tradição perpetuou-se no tempo, sendo sempre comemorada neste dia e foi-se propagando gradualmente a todo o país.
Até meados do séc. XX, o "Pão-por-Deus" era uma comemoração que minorava as necessidades básicas das pessoas mais pobres, principalmente na região de Lisboa. Na década de 70 do século passado, a data passou a ser comemorada, mais de forma lúdica, do que pelas razões que criaram a tradição e adoptou regras básicas, que deviam ser cumpridas:

- Só podiam andar ao "Pão-por-Deus", crianças até aos 10 anos de idade - com idades superiores as pessoas recusavam-se a dar.
- As crianças só podiam andar na rua ao "Pão-por-Deus" até ao meio-dia - depois do dessa hora, criança que batesse a uma porta, era premiada com um "raspanete", do adulto que abrisse a porta.»
A partir dos anos 80 a tradição foi gradualmente desaparecendo e, actualmente, raras são as pessoas que a recordam. No entanto, datas que não têm nada a ver com as tradições portuguesas, mas que são mais "atraentes" para o comércio, foram adoptadas rapidamente (caso do Dia das Bruxas, do Dia dos Namorados e afins).
E a nossa comunicação social, contribui decisivamente para o empobrecimento da memória colectiva. Neste dia, todas as estações de TV, Rádio e Jornais, falam no "Halloween", ignorando completamente o "Pão-por-Deus".

Nota:
Encontrei na Wikipedia a explicação (que eu desconhecia) da origem desta tradição, que guardo nas memórias da minha infância na zona Saloia.

2 Comentários:

Anonymous Anónimo disse...

Eu sou mais do tempo do.. "Tostãozinho p´ró Stº António"..

Abraço
Pantas

04/11/10, 16:22  
Blogger Rui disse...

E tb és/somos do tempo do "pão por Deus", só que não te lembras.

05/11/10, 16:19  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial