terça-feira, outubro 28

achado


Encontrei este velho artefacto (um alicate "corta-fio") meio soterrado no limite da área de escavações arqueológicas em curso no Alto da Vigia.

«Deve ter sido deixado aqui pelos operários que fizeram a instalação eléctrica do Santuário no séc. II ou III, quando este local fazia parte dos domínios da família que habitava a Vila Romana de St. André, aqui um pouco mais acima na encosta, em Almoçageme.»

Foi a resposta mais parva que arranjei para baralhar os conhecimentos, de história, do meu filho. E depois, a gente admira-se quando os nossos "putos" na Escola, fazem grandes confusões. Por estas e por outras é que o Miguel, num teste respondeu à questão, "Qual o símbolo da paz?" com "É o Cravo."
Enfim... ainda por causa deste assunto, fiquei a saber que há quase quinhentos anos, o pintor (português) Francisco de Holanda, contemporâneo de Camões, passou uns tempos na foz do Rio das Maçãs investigando o que restava do, já então, arruinado "Santuário do Sol e da Lua", do qual teria feito um desenho (o único conhecido) publicado em 1571 num importante livro (onde descreve "coisas", identifica problemas e propõe soluções) sobre a cidade de Lisboa e arredores. Se não me esquecer, um dia destes, vou à Biblioteca Nacional da Ajuda para tentar ver esse famoso livro.

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial