segunda-feira, agosto 31

Resposta


Eureka! Encontrei uma.
Eis uma resposta às perguntas que Brecht passou ao papel e que o nosso amigo XL tem por (bom) costume declamar em público

PERGUNTAS DE UM OPERÁRIO LETRADO

Quem construiu Tebas, a das sete portas?
Nos livros vem o nome dos reis,
Mas foram os reis que transportaram as pedras?
Babilònia, tantas vezes destruida,
Quem outras tantas a reconstruiu? Em que casas
Da Lima Dourada moravam seus obreiros?
...

sexta-feira, agosto 28

Fim de Semana 195


À passagem pela Estação do Oriente,
no regresso a casa, ao fim de mais uma jornada.

volto para um BOM FIM DE SEMANA!

Etiquetas:

terça-feira, agosto 25

Vou andando


parei o automóvel
arrumei a bicicleta
e cá vou andando...

a pé.

porquê?
preocupações ecológicas
princípios básicos de economia
(já gastei a reforma deste mês)
ou só mais uma mania
talvez!?
(é mesmo)
eu gosto de andar,
percorrer a pé (e sozinho) os caminhos,
os tortuosos caminhos da terra,
de Portugal

eis uma imagem (a meio caminho) do segundo dia - fácil - apenas 3 horas
de ALVERCA a CASTANHEIRA DO RIBATEJO.

segunda-feira, agosto 24

a Chanfana

PodAMPLIAR (clik para AMPLIAR)
Quem chega aqui, junto ao Castelo da Lousã, não tem muitas alternativas de caminhos - não há que enganar, no fim da estrada para automóveis, a gente dá de caras com aquela espécie de promontório, do Santuário da Senhora da Piedade que tem no sopé, as magníficas Piscinas Naturais.

Então, podemos perguntar:
«Para quê tantas tabuletas, que incomodam a vista da paisagem e quase todas a indicar a mesma coisa?
Diferentes cores para todos os gostos? Huuumm...
O gabinete de "marketing" da fábrica das tabuletas tem uma grande equipa de vendedores? Nãaaaa...
Então..? Nada! São assuntos complexos, problemas específicos da gestão autárquica, que é preciso que se diga, não são exclusivos aqui da Lousã. »

Ah, já me ia esquecendo,
lá fui eu (gastar mais um pouco da minha "rica reforma") almoçar uma Chanfana ali mesmo, no "BURGO" e... mais uma vez partilhando a mesa com a família mediática - uma nossa amiga da RTP1 e o seu companheiro repórter de imagem da SIC, e ainda... coincidência, uma equipa de reportagem, que ali estava a gravar um programa especial sobre aquele lugar, para a RTP2.

domingo, agosto 23

Arquitecturas 2009


Pormenores, de passagem pelo velho burgo de uma das nossas mais antigas cidades.

sábado, agosto 22

Postal Douro


«Chiuuu... nem uma palavra.»
Nada de agitar a calmaria destas águas.

sexta-feira, agosto 21

Fim de Semana 194

FOZ TUA

No outro dia, enquanto apreciava o anoitecer neste lugar, deu-me para pensar,

«caramba como eu sou antigo... imaginem que esta locomotiva (ou uma igualzinha que está ali atrás) puxou o comboio em que eu andei na Linha do Tua... já lá vão, dessa primeira vez, 36 anos... Junho de 1973, tinha eu acabado de gravar no auditório do Teatro Maria Matos, "A TOURADA", do Tordo e do Ary... ah, o ser humano é a máquina quase perfeita para resistir ao tempo e às agruras da vida...»
O FIM DO DIA
NO FIM DA LINHA

O FIM DE FÉRIAS
NO FIM DA SEMANA

A CHEGADA DE MAIS UM BOM FIM DE SEMANA!

Etiquetas:

quinta-feira, agosto 20

Noites 6

Covelinhas
Porque era quinta-feira e dia 13,
alguma coisa havia de correr mal.

Pelas três da madrugada, o fresco ar condicionado (que eu não suporto) no quarto, obrigou-me a sair da cama para o terraço.
Cá fora, a temperatura do ar (37º C) é igual à do meu corpo (um tanto febril ainda em convalescença da pneumonia) e por isso e porque gosto de noites de calor, sinto-me perfeitamente bem e deixo-me dormir numa cadeira de repouso, embalado pelo manso rumorejar das águas do rio.
O sossego apenas interrompido pelo coaxar das râs e o distante latido de um cão algures na aldeia, na outra margem do Douro.
De resto, nem uma brisa, nem uma aragem, que refresque o ar trazendo alguma humidade do rio ali por baixo; nem em mosquito, nem uma melga, para me zumbir aos ouvidos, sugar o sangue e fazer comichão.
Coisa nenhuma... para perturbar o merecido repouso de um viajante.
Pimba!!! Alguma coisa me bateu, de raspão, na cabeça e me despertou. Abri os olhos e não consegui ver coisa alguma - um feixe de luz, branca, concentrada, incidindo directamente sobre a minha cara, deixava-me cego.
Porra!!! Um ataque de extra-terrestres na noite. Estou sozinho aqui, estou lixado...
Por instinto, ergui a mão à frente da cara para protejer os olhos da luz e localizei a origem do feixe luminoso.
Lá estava ele o ET, debruçado numa janela do piso de cima, voltada para o terraço onde me encontrava.
Às tantas, ele desviou um pouco a lanterna da minha cara e falou assim:
«Ó meu amigo, eu só lhe queria pedir o favor de ir ressonar para outro lugar, porque eu tenho a janela aberta e não consigo dormir.»

quarta-feira, agosto 19

DOC


Toda a gente sabe, que D.O.C. é uma espécie de sêlo de garantia aplicado a um bom vinho de marca - um producto com Denominação de Origem Controlada.
Na região vinhateira do Douro, há muitos vinhos com essa designação. É vulgar, encontrar bons vinhos DOC.

O que eu não sabia é que também havia Restaurantes D.O.C.
Encontrei um, a meio caminho da E.N. 222, que depois da Marginal Lisboa-Cascais, considero que é - tomem nota - a marginal mais bonita de Portugal.
Pois, numa curva da estrada que acompanha os meandros do rio, entre a RÉGUA e o PINHÃO, há um lugar chamado FOLGOSA. É aí, mesmo em cima do rio, sobre a água, que está o "DOC DOURO".
Não é um restaurante, digamos assim, normal - o serviço é o que se costuma designar por "Gourmet".
Não é coisa que eu aprecie verdadeiramente (lá para o Norte eu gosto é de comer bem, quer dizer muito bem, "encher a mula"), mas uma vez sem exêmplo... enfim.
Além disso, não é todos os dias que se tem o "privilégio" de partilhar o espaço com uma família mediática - uma "senhora" vedeta da TVI e um "senhor" director da RTP.

terça-feira, agosto 18

a ver navios 2009


- Olha, lá vem mais outro, na curva do rio.
- Parece que é dos maiores. Bem grande.
- Vamos ficar aqui sentados a ver...

segunda-feira, agosto 17

Postal do Tua

PODAMPLIAR
A foz do Rio Tua. (clik imagem para VER MAIS)


Aqui mesmo, por trás de mim, para lá da ponte rodoviária sobre o rio, pode ver-se o primeiro túnel (para quem sobe, o último para quem desce) da antiga Linha de Comboio que ligava Foz Tua a Mirandela. Este túnel e a ponte ferroviária que o precede, são a entrada (ou saída) do profundo desfiladeiro por onde corre o Tua.

Aconteceu na minha última viagem com a família, no comboio do Tua:

A velha Automotora (carruagens Napolitanas) saiu de FOZ TUA já era noite.
Antes de chegar à primeira Estação do percurso - TRALHARIZ - o comboio parou subitamente, ao mesmo tempo que se verificava um certo rebuliço a bordo da carruagem de trás.

«Estamos tramados», pensei, «uma avaria? Já não chegamos a Mirandela a horas do jantar ou pior ainda, vamos passar a noite desterrados neste fim-do-mundo..?»
Não demorou muito, desde que o revisor atravessou a nossa carruagem em passo de corrida, até que o comboio começou a fazer marcha-atrás, devagar, devagarinho.
Fui lá atrás saber novidades. Nada de alarmante, afinal. Tratava-se "simplesmente" de facilitar o regresso de um passageiro que se havia enganado no comboio.
O coitado, um emigrante (daqueles de antigamente) arrastando umas quatro ou cinco malas e mais a família, queria era apanhar o comboio da Linha do Douro.
Estava fora de questão, fazer o caminho de retorno a pé pela linha, carregando a bagagem, a mulher e as crianças, na escuridão completa.

E assim, a Automotora recuou até passar para além deste Túnel e da Ponte que se segue. Aí, perto da estrada, os passageiros saíram e lá foram andando, sei lá como, estrada fora até à Estação. Por ali não havia telefone para chamar um "carro de praça".
Retomada a viagem, imaginem que ninguém reclamou, nem sequer pensou reclamar, de coisa nenhuma.

Etiquetas:

domingo, agosto 16

Bom Dia Douro



«Adeus, até à volta.»
(Margem direita do Douro, junto à Foz do Tua)
A cena repete-se pelo menos uma dúzia de vezes por dia.

Toda a gente, na piscina, se levanta para acenar, respondendo aos apitos das sirenes dos barcos e aos gritos de entusiasmo dos turistas que viajam rio abaixo, rio acima.

sábado, agosto 15

Fim de Semana 193


Aqui estou, há vários dias, escondido num profundo vale no Alto Douro Vinhateiro.

Redes de Telemóvel, nem nada.
Internet, dizem que tem... dias.

Com um bocadinho de atrazo, lá consegui subir ao cimo da encosta para deixar aqui para o Pessoal
um

BOM FIM DE SEMANA!

sexta-feira, agosto 7

fim de semana 192


Hoje até tivemos direito a modelo ao vivo, para melhorar um pouco a composição, da tradicional fotografia do

BOM FIM DE SEMANA!

quinta-feira, agosto 6

Pedido directo


Frei Bernardo, à porta da Igreja, da Rua do Crucifixo.
Parece que está a rezar o terço do seu Rosário.
«Reze por mim, uma Oração, Sr. Padre, que muito estou a precisar de uma ajudinha Divina!» Peço eu, ao passar por ele.

«Ora bem, meu amigo, vamos já resolver esse seu pedido.» Disse ele,

enquanto sacava do bolso dos calções o Telemóvel.
Para meu espanto, tratou de enviar logo ali um SMS.



«Ora pronto, vá com Deus, meu caro fiel. Está despachado o seu pedido, da maneira mais rápida e sem intermediários - direitinho ao Senhor
«Obrigado, Frei Bernardo.»

segunda-feira, agosto 3

a veterana


O tempo, corre. Imaginem que a "miúda" já é uma "veterana" na Tuna feminina.

Se até aqui, tem sido difícil "segurá-la" em casa.
A partir de hoje, é "maior e vacinada", como diz o povo.
Com 21 anos, o difícil vai ser encontrá-la em casa!

domingo, agosto 2

Noites (5)


Claro que eu não podia perder a oportunidade..!

Foi a primeira - e muito provavelmente, a última - vez que me foi possível ver uma actuação de L. Cohen ao vivo.

Até me esqueci do sítio (o Pavilhão Atlântico) com que embirro particularmente, por achar desadequado a este tipo de espectáculos.

Até ignorei as longas pernas que a linda "vintager" vestida de "teenager", no lugar ao lado, insistia em cruzar e descruzar, fazendo sobressair (por demais) as coxas daqueles exíguos "shorts".

Nos primeiros instantes veio-me à lembrança uma frase (batida) de há muitos anos. Dizia a minha comadre, alentejana de Aljustrel:
«Compadre, não se perturbe. Pernas são canelas. Merda para quem olha p'ra elas!»

Assim, alheio a tudo o que me rodeava, embrulhado no som (vozes e músicos fantásticos) deixei-me flutuar no tempo para outros lugares, fora do tempo.

sábado, agosto 1

Fim de Semana 191


«No computer. No problem!»

Demorou um tempinho (tempo demais) a colocar em funcionamento o velho computador, recuperado das caves, para utilização temporária.
Com este, não dá para importar fotografias novas. Assim, ficamos com esta imagem de Sol de Primavera, repescada nos meus arquivos (Webshots) "on line".
Um tanto ou quanto fora de prazo, aqui fica a habitual proposta do BOM FIM DE SEMANA!

(com um chuvinha, boa para lavar o ar e o chão, levando os vírus da gripe para o a sargeta.)