quinta-feira, março 31

Campo da Porcalhota, 1790

D. Miguel Pereira Forjaz (1769 – 1827)
O 9º Conde da Feira, serviu no Campo da Porcalhota em 1790 como alferes do estado-maior do Conde de Oeynhausen, inspector-geral da Infantaria, tenente-general do exército e Governador do Algarve.
Carlos Augusto von Oeynhausen (1739), Conde de Oyenhausen e Gravenburgo, descendente de Maria Elisabeth von Oyenhausen (1659) que pela ligação a Melchior Dietrich von Zepelin (1649) gerou o ramo familiar de onde veio o Barão Ferdinand Adolf August Heinrich Von Zeppelin (1838), o inventor do Zepelin no início do séc. XX.
O Conde de Oeynhausen, casou com D. Leonor de Almeida Lorena e Lencastre (1750), Marquesa de Alorna e condessa de Oeynhausen, a nossa maior poetisa do pré-romantismo, pintora e feminista, que por ser descendente dos Távoras, viveu encerrada no Convento de Chelas, dos 8 aos 18 anos, por ordem de D. Sebastião José de Carvalho e Melo, o "camarada" Marquês de Pombal. Até Manuel Maria de Barbosa du Bocage em 1804, dedicou à ill.ma e ex.ma sra. Condessa de Oyenhausen, um conjunto de poesias (decentes).
A descendência da 4ª Marquesa de Alorna e do Conde Oyenhausen é também digna de menção:
- A 1ª filha do casal, D. Leonor Benedita de Oyenhausen e Almeida viria a gerar D. José Trazimundo Mascarenhas Barreto (1802), 5.º marquês de Alorna e 7.º Marquês de Fronteira, que foi um figurão importante na época das lutas Miguelistas.
- A 2ª filha, pouco há para dizer a não ser uma ligação com a família do Barão de Torre de Moncorvo, D. Pedro Qualquer Coisa de Morais Sarmento.
- A 3ª filha, D. Juliana Maria Luísa Carolina Sofia de Oyenhausen e Almeida, Condessa de Oyenhausen, Condessa da Ega e Condessa de Strogonoff, era uma “maluca”, bonita como a mãe e danada para a brincadeira, pois 1º casou com Aires José Maria de Saldanha Albuquerque Coutinho Matos e Noronha, 2.º conde da Ega, a quem pôs os chifres com o General Junot. “A formosura da condessa da Ega cativou o general, que em 1808 invadiu o nosso país, e os seus amores tornaram-se tão públicos que ficou sendo conhecida como amante do primeiro ajudante de Napoleão.”
Depois deter vivido à grande na corte de Napoleão e ter ficado viúva, casou com Gregório Alexandre Ironwisch, conde de Strogonoff e mudou-se para S. Petersburgo na Rússia.
Assim ligamos a história da Porcalhota às figuras ilustres da história, das artes, da ciência e da cultura Portuguesa e Europeia e também à gastronomia, com Sopa Juliana (à Francesa) e Bife Strogonoff.

quarta-feira, março 30

Espelho Medieval

Ponte de Lima, por baixo e por cima.
De regresso à civilização, deixo as margens do Rio Lima a transbordar de saudades do tempo em que era tradição a visita Pascal do Cristo na Cruz a todas as casas das aldeias em redor.
No tempo em que percorria desde manhã cedo os meandros das estradas interiores que nos levavam em subidas e descidas sem fim desde Vila do Conde, com passagem por Barcelos, até Ponte de Lima para almoçar no restaurante da D. Gracinda, a Galinha de Cabidela ou o Sarrabulho com Rojões, acabadinho de sair do lume de lenha.
Uma Broazinha para ajudar a ensopar o Verdinho Branco da região e no fim a travessazita de Leite Creme queimado mais o Bagacinho de Vinho Verde para a animar a digestão num passeio a pé pela avenida dos plátanos à beira do Lima, com o aroma intenso dos cachos em azul, branco, roxo das Glicínias completamente floridas.

quinta-feira, março 24

Descubra as diferenças


As semelhanças:
Se tirar uma fotografia do alto de uma colina que fica mais ou menos próximo da estrada para o Cais dos Submarinos, na outra banda, o resultado seria parecido com esta foto. A ponte, o Tejo e as Torres das Amoreiras ao fundo. E se fosse aqui há uns dias atrás, também se podia ver o imenso maralhal da Maratona a passear lá em cima.
As diferenças:
Esta ponte não liga as duas margens do Tejo. Apesar de ser um pouco mais curta que a nossa, liga dois Continentes, a Europa e a Ásia, atravessando o Estreito do Bósforo entre o Mar Negro e o Mediterrâneo. Istambul, Turquia onde os também se pode atravessar a ponte a pé no dia da Maratona lá do sítio.
As coisas que a gente descobre na Internet.. !

À espera da chuva

Em Ponte de Lima.
Isto já parece mais um Fotoblog ou uma Webpage de divulgação da região de Ponte de Lima.
Mas, que se lixe, eu gosto do sítio. Tirando a Porcalhota antiga, só há mais duas terras em Portugal que eu conheço muito bem - P. de Lima e V.N. de Mil Fontes.
O vale do Rio Lima e o vale do Rio Mira. Já passei mais dias nestes lugares do que em qualquer outraparte do mundo. E digo, vale a pena ir... e ficar lá. Visitas turísticas de passagem não chegam para nada.

50 anos depois

Não encontrei quase nada.
Estava à espera de sentir qualquer coisa que me fizesse reviver um pouco do ambiente da Parreirinha da Porcalhota. Mas, nada mais resta, como diz uma velha canção do Toni. Os fantasmas não estavam lá.
Faltaram ao encontro, os jogadores de liques da mesa do canto, o Xico Fanfas (atrofiado pelo Lobisomem da Quinta da Porca Suja), o sempre mal humorado Ti'Zidro (gordo reformado da GNR), o Ti Tomé o baixinho, que todos os dias tratava das gaoilas do pintarroxo e do pintassilgo e da sua esgroviada matulona ex artista de teatro de revista, D. Berta, sequestrada segundo ela, da Calçada dos Barbadinhos para a Porcalhota.
E o velho O'neil Pedrosa, que me ensinou a resolver palavras cruzadas e a ressuscitar, com a cinza morna dos cigarros, as moscas afogadas. E o Zé Espanhol, amolador que anunciava o Outono ou a Primavera com o característico toque de sobe e desce daquela gaita de madeira de que não sei o nome.
E o Ti Manel Alcainça, caseiro da D. Efigénia de Sotto Mayor que espreitava pelas grades da janela da cozinha para encomendar às escondidas da patroa, a sua dose diária de 1/2 litro do tinto.
E outros tantos, enfim, que sobrevivem apenas e ainda na minha memória. Por isso, para preservar na minha memória os pormenores destes personagens, NÃO VOU VOLTAR.

quarta-feira, março 23

Roupa Lavada

Tempo de lavagem.
Foi tempo de frio,
depois da chuva, vem um bocadinho de Sol e o pessoal aproveita para as limpezas da Primavera.

O Farol

Tema para um Blog.
Imagem (adulterada, aviltada) da minha colecção de fotografias de Faróis. Tenho a "mania" de gostar de faróis (de costa, não dos de automóvel). Deve haver uma explicação psicológica para isto.
A imagem podia ser aproveitada para Header de um Blog. Quem quiser pode utilizar, não tem problema de direitos. O Farol, provavelmente até já deve haver algum. Não sei, não procurei.

O Globeofblogs

Portugal em 3º lugar.
O www.globeofblogs.com tem uma Base de Dados com um índice de Blogs de todo o mundo. Quem quiser pode registar o seu Blog nesta lista. Estive a verificar os dados e constato que Portugal se encontra em 3º lugar no ranking de autores Europeus, com 272 Blogs registados.
Nesta mania de divulgar as ideias, sentimentos e opiniões (pessoais) via Internet, realmente estamos muito à frente. Pode ser que esta mania venha a alastrar a outras coisas.

terça-feira, março 22

O Sr. Delegado

através da Nota de Entrega,

O Sr. Delegado Concelhio da Inspecção dos Espectáculos da Câmara Municipal de Oeiras, mandou um recadinho que dizia assim: "à Direcção da Sociedade Filarmónica Fraternidae, digo Artística da Amadora, recomendando que no quadro "A BARONESA" da Peça Fogueira da Alegria, o sobrinho represente apenas uma figura tímida, que não de um homosexual. "
Mais acrescentava que: "Não é de dispensar ensaio geral."
Curioso este impresso. Só não se vê a assinatura nem o carimbo.
Conclusões:
  1. A autoridade em defesa da moral, não promovendo a divulgação dos maus costumes?
  2. Ou, já nesse tempo o lobbie da bicharada tinha chegado ou começava a ganhar algum poder?
  3. Preocupação com o deficit público, pois apesar dos enganos na escrita, emendou, ressalvou, poupando o papel e a fita da máquina de escrever da Autarquia e... o esforço intelectual e o tempo que um animalzinho destes podia gastar a fazer outras coisas mais úteis?
  4. Provavelmente eu estou a ser mauzinho e o Sr. era um Ecologista que estava muito à frente do seu tempo.

Fogueira da Alegria 4

Críticas.
Excerto do Jornal da Costa do Sol, sobre a apresentação da revista em Alcabideche.
De realçar no texto do cronista, coisas curiosas:
"...octogenária e estimada Sociedade..."
"...em cena 31 vezes, 4 das quais no Teatro ABC em Lisboa..."
"Sem nudismo..."
"...o exito deve-se sobretudo ao elenco feminino..."

Fogueira da Alegria 3

Cartaz de promoção.

  • A revista das multidões.
  • Cada apresentação, cada exito.
  • A preços populares.
  • O grupo cénico que vai actuar no norte...

    Nomes que destaco neste elenco:
  • Júlio Antunes - o nosso amigo JC ainda principiante.
  • António Piteira - o gordo Piteira, campeão da luta greco-romana.
  • António Gomes - o grande António Calmeirão.
  • Maria Mónica - que ainda mora ali perto da Quinta.

segunda-feira, março 21

Fogueira da Alegria 2

A Revista mais vista da SFRAA.
A dupla Francelina de Almeida e Luís de Carvalho, fez sucesso na revista à Portuguesa. Ela bonita, jeitosa e ele engraçado e talentoso, faziam na perfeição o clássico par do teatro de revista, a menina espevitada, apetitosa, arisca e o malandreco, sabido, cheio de truques e cartas na manga. O Carvalhinho era um Compére à maneira.
Apesar da Censura (que recomendou que o "jeitosinho", de fato branco aqui na foto, se limitasse a ser um tímido e não representasse um homosexual), em 1963 e 1964, o grupo cénico da SFRAA "fez-se à estrada" e levou este espectáculo em "tourné" até ao Norte do País. E mais, levou esta revista ao Teatro ABC no Parque Mayer.
Nota: fotos de mais um conjunto de documentos "escavados" nos arquivos dispersos da SFRAA pelo RS.

OMO, lava mais...


Já não há disto?
O "OMO, lava mais branco" acho que já há outra vez.
O Barqueiro do Lima, depois da chuva desta semana, talvez volte a navegar.
A Lavadeira de roupa também é possível ainda encontrar lá pelos areais de Ponte de Lima, quando o Sol voltar a brilhar e a água voltar a correr limpinha.

Depois da Páscoa, espero bem lá ir saborear um verdadeiro Arroz de Sarrabulho, calmamente cozinhado no lume de lenha da D. Gracinda, ali pertinho, na Correlhã.

Paciência...

é preciso ter paciência.
Estas coisas da internet, são assim. É muita gente junta a transferir informação. Por isso é que sempre me fez nervos, utilizar um computador, super rápido e às vezes demorar mais tempo a transferir uma imagem do que enviar um fax.
Mas não há dúvida que dá um jeitão e a gente já passa um bocado mal quando não tem a gaita da Net. Deste modo, vamos conviver com esta velocidade, que vendo bem até está de acordo com o desenvolvimento das infraestruturas do País. Vamos esperar que apareçam Servidores Nacionais decentes.
Vou mudar a minha ligação (de casa) ADSL da ONI para a PT, a ver se melhora um pouco a velocidade de acesso. Por agora, reduzi os anúncios para apenas 2 e voltamos ao tamanho de imagens mais pequenino (200). Se quiserem ver a imagem em tamanho maior (até 640), já sabem: CLICAR EM CIMA da mesma.
Foto (tamanho 200): Ponte de Lima, Minho, Portugal.

Desligo os Gajos?

Eles não dizem nada..?
Aguardo resposta do "naweb.info" sobre o esquema de páginas/blogs deles.

Estive a experimentar fazer umas habilidades num blog do Sapo, mas não me parece que venha a utilizar. Dá muito trabalho refazer as coisas mais ou menos como estavam neste site blogger.com.
Podem ver um teste de uma espécie de Pessoal da Porcalhota V no sapo.
"O CICLO-PENTANO" foi o nome de baptismo. Pode ser um novo ciclo do Pessoal, como diz o Quim.

sexta-feira, março 18

Parece impossível

Mas isto ainda funciona!
Bem vistas as coisas, não se pode esperar muito bons resultados de um serviço gratuito (e Universal, com suporte para todas as linguas) como este dos Blogs do Google.
Se atendermos aos NÚMEROS, verificamos o seguinte:
1º) a identificação do nosso Blog "Pessoal da Porcalhota" está guardado na caixa nº 8.632.848 de um armazém (uma Base de Dados) onde estão outros 8 Milhões tal de blogs de todo o Mundo. O servidor onde está o "Blogalização" tem um bocadinho menos Blogs - 6 (Seis). Hei-de tentar saber quantos tem o SAPO.
2º) os Posts (Artigos) publicados estão guardados no armazém ao lado, mas todos ao molho. Não há caixinhas, eles vão sendo carimbados e empilhados por ordem de chegada, desde o nº 1 até ao nº 111.109.957.710.557.787 (o último que escrevi). Quando se quer alterar alguma coisa num artigo, o fiel do armazém (o sistema) tem que ir procurá-lo no meio de uma pilha com Quadriliões de artigos e respectivos Comentários. O verdadeiro problema é depois voltar a guardar o artigo no mesmo sítio onde estava. Isso é o que demora um bom bocado mais.
Conclusões:
1- há gente que não tem mesmo nada que fazer e passa os dias a escrever p'ro blog.
2- isto era bom se tivesse um bocadinho de blogs a menos.
3- apesar de tudo, é um espanto esta coisa ainda funcionar!

quinta-feira, março 17

Vendo, Não Vendo?

que fazer?
Depois de ter lido várias reclamações do Pessoal em relação aos comentários e por vezes ao simples acesso de consulta.
depois de eu mesmo ter experimentado algumas dificuldades em escrever, alterar ou carregar uma imagem num post, não sei bem o que fazer:

... colocar as imagens maiores logo na pagina principal?
... colocar apenas o texto e inserir algumas palavras com links para as imagens?
... retirar os anúncios Google (que estão a dar pouco lucro)?
... retirar o Contador visível?

... retirar o mapa de visualização dos visitantes?

- Estive a ver as condições anunciadas na página do servidor naweb.info (onde está o Blogalização) mas ainda não percebi bem se serve?

Jantar a Bordo

Jaquinzinho frito, pão e azeitona.
Mais uma garrafinha de rosé para cada um dos 20 convivas e 5 tripulantes, música ao vivo e umas cenas de representação teatral. O "Hospedeiro" que assegurou o serviço de distribuição das caixas de sapatos com a refeição esteve impecável. Espero que ele veja um dia esta fotografia de que já não se deve lembrar. Para além dele, Mano Zé Silva, houve mais 2 convidados do Pessoal da Porcalhota a colaborar no evento, o Quim e o Camacho.
Com uma cunha especial na Carris conseguimos nessa noite percorrer praticamente todas as linhas que era possível percorrer de eléctrico em Lisboa: Estrela, C. Ourique, Alcântara, Rato, T. do Paço, P. do Chile, S. Sebastião, Amoreiras, M. Moniz e terminar na Graça e com graça.

quarta-feira, março 16

O Nosso Eléctrico

o Nº2 da CCFL em Dez. 1978.

A recuperação do arquivo dos "Folkloricus" já se começa a ver. Aqui está a primeira imagem histórica da festa organizada pelo grupo para o meu 30º aniversário. Os convidados só sabiam que tinham que esperar por alguma coisa às 20h em frente à estação do Cais do Sodré, mais nada.
Foi uma verdadeira surpresa quando o gordo Cobrador impecavelmente fardado com o traje da Carris de 1900 abriu a porta do eléctrico e começou a convidar o pessoal para entrar depois de pagarem os 20 paus de bilhete.
E aí começou uma viagem de 2 horas por Lisboa antiga, animada por outras surpresas e que terminou no "Chafarica", junto a S. Viente de Fora onde o amigo Bonga deu continuidade aos festejos.
Foto: os Picas (EU e o Zé Sultão) e a amiga Gina que no final desta noite memorável viria a despachar o meu bolo de aniversário pela janela fora.

terça-feira, março 15

Encontro anual

E agora encontro mensal.

Os 5 resistentes sobreviventes dos "Folkloricus da Infante Santo" reuniram nas Caldas. Aqui à volta da oliveira, junto do meu terreno houve petisco bem acompanhado pelo saboroso vinho de um vizinho ali do Guisado. Finalmente combinamos reunir mensalmente para rever o espólio fotográfico e filmico e outra documentação relativa às actividades extra-RTP-ordinárias deste grupo de marados do final dos anos 70. Próximo encontro marcado para 12 de Abril, na Ortiga.
Entretanto, revisitei os meus 2.000m de chão que continuo a não vender, mas fiquei satisfeito porque a água do meu poço (inesgotável) está a servir para regar as 500 Gingeiras do meu vizinho. Daqui por um ano vou ter direito a Ginjinha da boa.

Venda Livre

mais antigo que sei lá.
Hoje vou na onda das notícias do dia, e lembro este "jingle" publicitário do tempo da Maria Cachucha (com ch ou será com x?). Ainda se vende, sem ser na Pharmacia, em Hespanha.

O senhor está constipado
e ficou mal de repente
porque não teve cuidado
porque foi imprevidente

Para o mal cujo motivo
está na chuva, frio ou sol
qual o melhor preventivo?
Formitrol, Formitrol, Formitrol!

A minha inclinação

era assim em 1987.
Aqui a minha inclinação para esta mulher era igual, paralela à da Torre de Pisa. E a coisa firme e hirta tal como a estrutura da torre, que naquele tempo se segurava sozinha no meio da Praça dos Milagres sem apoios de coisa nenhuma que não as suas fundações.
Bela Itália, era o tempo em que era fácil fazer turismo, enfiar o material de campismo no carro e ir andando à descoberta. Não havia grandes perigos, nem muitas dificuldades, apesar do câmbio.
Era setembro, lembro-me de uma música "C'ést en Septembre" ou "September Morning", tempo quentinho, almoço fatias de verdadeiras pisas compradas a peso "al forno" (padaria) e jantar na Festa do Avante (não muito lonje desta praça) junto ao Rio Arno.
E depois, o resto da história chegou 9 meses depois à Buraca.

segunda-feira, março 14

Sonho, Vende-se.

Nas caldas da Rainha.
Não queria mas tem de ser. Lá tenho que ir tratar de vender o único bocadinho deste Planeta Terra onde está escrito o meu nome. São só 2.000 metros quadrados de terra, relva, canas, ar puro, sossego, um poço com muita água e uma paisagem de sonho. Passei por lá um dia, vi a propriedade e pensei: "o sítio onde eu gostava de ter a minha casa". Coincidência, o dono era meu colega e amigo, quis vender e eu comprei. Encomendei o projecto e a Câmara aprovou a construção.
Esteve quase a ser uma história do estilo "e viveram felizes para sempre...", mas não foi. Passaram 3 ou 4 anos e tudo na mesma. Logo vou lá para me torturar, pisar o chão, admirar a paisagem, sentir o cheiro da terra, do campo, respirar fundo e dizer que vendo tudo por 40.000€.

Icones da Porcalhota

O Carvoeiro.
O mais antigo "marco miliar" dos caminhos da Porcalhota em perfeito estado de conservação. As mesmas paredes - grossas, o mesmo espaço - pouco, a mesma luz - difusa e absorvida pelo negro do carvão, o mesmo barril de vinho - do productor. O nº87 da R. Elias Garcia devia entrar para o património histórico da Câmara Municipal da Amadora. É surpreendente, este atentado às leis da Comunidade Europeia. Resistência à modernice. Defesa dos bons costumes. Tradição. Os donos mereciam uma medalha, ou pelo menos uma placa comemorativa do Pessoal da Porcalhota. Será que o Marcelo vai tratar disso?

domingo, março 13

Falhas de memória

uma espécie de ferrugem cerebral.
Os circuitos que ligam os nossos neurónios sofrem com o tempo, um desgaste natural provocado pela oxidação, pela poluição, falta de energia ou até pela falta do utilização. Desta forma, algumas funcionalidades da mente humana, como a memória, começam a ser afectadas. Mas é importante destacar que o cérebro, consegue fazer a gestão inteligente até das falhas de memória e "esquecer" em primeiro lugar as coisas que não são muito importantes para a sobrevivência do organismo. É tudo uma questão de ligar e desligar interruptores. Coisas de computadores.
Para compensar as falhas, o homem inventou muitos truques. As taças e as medalhas são os mais simples de todos os auxiliares de memória. A pensar nisso, fui á cave reavivar memórias e encontrei estas taças.
A que tem tampa é, deixa lá ver se não me falha... ah! sim, lembrei-me. Diz na chapinha pregada na base de madeira: "Concurso de Fotografia - Sindicato dos Trabalhadores do Comércio - 1976". Bem, esta foi fácil.
A outra não fui eu que ganhei, mas é a minha primeira taça, a mais antiga de uma vasta colecção de meia dúzia. Não tem nada escrito, nem precisa, eu lembro-me: "Gupo Desportivo da Quintinha - 1967". Quando trespassei a tasca, que era na altura a sede do clube, da "Rua Projectada à Quintinha", trouxe comigo esta lembrança.
Obs.: estas memórias auxiliares também enferrujam, temos que as tirar do baú de vez em quando para arejar.

sexta-feira, março 11

Passou ao lado!

Desta vez não passou.
Não sei se passou ou não passou "a reacção" há 30 anos. Não percebi muito bem. Acho até que ninguém percebeu. Foi uma grande confusão aquele 11 de Março de 1975.
Mas desta vez a nossa Televisão NÃO PASSOU aquelas imagens que nos habituamos a rever todos os anos no 11 de Março, onde aparecia em acção o amigo (do Pessoal da Porcalhota) Artur Carapinha.
Este ano a Televisão Nacional mudou-se para a Capital da Península, centrou todas as atenções no 11 de Março "espanhol" e o "nosso" passou ao lado.
Paciência... qualquer dia mudam mesmo a capital para Madrid.

5 Minutos de Estupidez

Para 5 Minutos de Silêncio.
A Antena 1 da RDP, Radiodifusão Nacional em cima do acontecimento:
"... e agora vamos fazer a ligação a Madrid para transmitir em directo os 5 Minutos de Silêncio da cerimónia de homenagem às vítimas do 11 de Março."
Inacreditável, amigos realizadores e jornalistas da rádio nacional. Não se podia imaginar coisa mais estúpida do que transmitir EM DIECTO 5 minutos de silêncio!
Mas o pior foi que o locutor que se deslocou de propósito a Madrid para cobrir o acontecimento em directo, descreveu com todos os pormenores a cerimónia falando sem parar (a encher chouriços) durante estes 5 minutos de SILÊNCIO.
Não tenho mais palavras para (des)classificar esta actualidade nacional, mas acho que estupidez é pouco.

quinta-feira, março 10

As Minhas "Pedras"

Apanho com cada uma!!!
Esta aqui tem p'raí uns 4 metros e meio e "apanhei-a", sem querer, quando atravessei a Bretanha a caminho do Monte St. Michel. E não estava sozinha, alinhadas com esta estavam (ainda estão) outras 3.000, mais ou menos do mesmo tamanho. Este alinhamento de pedregulhos ("menhirs" ou monolitos) espetados no chão virados para o céu, estende-se por 7 ou 8 kms.
Quando penso que às vezes faço caminhos do caraças para ir ver um (só 1) pedregulho destes lá perdido no meio dos campos... e depois em França, acampei um dia por acaso, mesmo junto a esta "plantação" de matacões que mais parecia a oficina do Asterix. O local é Carnac, próximo de Vannes, uma típica cidade do tempo dos Gauleses, junto ao mar, no sul da Bretanha.
Imaginem, aqueles gauleses, há milhares de anos tinham com cada pedra!!!

Mais tempo

Preciso de mais tempo.

Mais tempo para saborear o tempo quente, aquecer a pele, descontrair os músculos e relaxar o corpo para libertar o pensamento.
Preciso mais tempo para pensar e não ter que falar do tempo e mais tempo para fazer o que tenho que fazer.
Mas preciso ainda mais tempo para não pensar e muito mais tempo para não fazer nada.

- Porra, estou atrasado (mental), vou parar o relógio, ligar o aquecedor e vou-me deitar!

PS.: não tive tempo para arranjar uma imagem.

PSps.: muita sorte tem o JC, ele tem a "Casa do Tempo".

quarta-feira, março 9

Falar do Tempo

Para fazer conversa.
Não exige muito da imaginação, falar do tempo. Pode ser o dos calendários, o passado, o futuro, os nossos tempos; o tempo meteorológico, chove, está frio; ou os dois tempos juntos, o tempo que fazia noutro tempo, com o calor no Verão, o Março marçagão, Abril águas mil; ou então o Tempo das Vacas Gordas, o Tempo em que os animais falavam, o Tempo da Outra Senhora, etc...
-Chove no Sul amanhã 5ª feira, diz o Intituto Português de Meteorologia.
-Na 6ª feira diz a previsão da Nasa, até chove na Amadora.
-Segundo o Satélite da Euronews, só no Sábado chove em Lisboa.
Era bom que acertassem todos e chovesse durante os 3 dias seguidos de Norte a Sul ou vice-versa.
O que já não é bom é não me apetecer elaborar mais nada que não seja esta conversa de xaxa. Tenho as ideias todas aos pulos e aos saltos e os pensamentos a chocalhar dentro da cabeça, não assentam. Isto é caso para psicólogo analisar ou então é caso parapsicólogo e deve estar relacionado com a actividade sísmica próxima do território Português, que como se pode ver no mapa, tem sido razoável esta semana.

terça-feira, março 8

Mulheres Mais

Caso de Sucesso.
Mulher Mãe Coragem, Maria da Luz Carranquinha, há 40 anos deixou o pequeno negócio no nº 106 da Elias Garcia, o "lugar" ao lado da Parreirinha da Porcalhota e voou para os E. Unidos.
Levou com ela o filho mais novo, José Carranquinha, o meu melhor amigo de sempre. Por lá se deram bem e ficaram e continuam inseparáveis a aturar-se mutuamente com todo o gosto (como diz o Zé) desde há 56 anos.
Quando estive na Florida, deu-me um gozo imenso, pegar no telefone, ligar para a casa do Zé no Connecticut e dizer: - "M. da Luz, amanhã conte comigo para jantar, chego a Hartford no avião das 3 da tarde". E mais do que poder dizer, foi a alegria imensa (*) de o poder fazer, assim sem mais nem menos, comprar o bilhete e ir andando (voando) para passar uns dias em casa do meu amigo e da minha 2ª Mãe.
40 anos de saudades.
(*) fico choroso quando penso nisto.

As "minhas" Mulheres

AS ROSAS Dia Internacional das Donas.
A D. Maria, a D. Amélia, a D. Isaura, a D. Ana, a dona de casa, a dona do nosso coração, a dona do nosso destino, mais a D. Ermelinda, a D. Odete e por aía fora até à D. Urraca. Enfim, Mulheres, haja alguém que as que as compreenda!!?
A Fátima, há 25 anos decidiu que iria ser bom partilhar o futuro comigo e... assim foi e continua, não desiste!
A Mariana, há 16 anos não teve direito a escolher se queria ou não ficar comigo, eu e a Mãe é que decidimos!
Para elas, aqui ficam as rosas e um instantâneo de ternura, na Estalagem Sra. das Neves na Serra de Bornes, lugar de sonho onde eu gostava voltar com ambas mais algumas vezes.

segunda-feira, março 7

Título Difícil

Para Valdemar.
Uma imagem feliz para uma hora triste.
Valdemar partiu no seu Pegaso, cavalo alado, com as asas do tempo.
Para nós deixou, a memória da imagem de marca e aquele abraço.

Praia das Maçãs

Ainda estou em Fim-de-semana.
Blog abandonado no Sábado, no Domingo e hoje ainda não encontrei motivo para escrever alguma coisa que se possa considerar interessante para os habituias "comentaristas" do Pessoal da Porcalhota. Ainda não estou cá, fiquei na Praia (em espírito) a desenhar umas telas para mais tarde pintar.
Por isso, a escrita está fraca. Experimentei, saiu fluente mas desinteressante.
Assim aqui fica uma imagem para os turistas "camones" que visitam diariamente o Blog, saberem que ainda funciona regularmente o eléctrico centenário desde Sintra até à Praia-das-Maçãs (Apple Beach) e que a viagem de 12 kms, custa apenas 1 €uro. MUITO BEM VISTO.

sexta-feira, março 4

Conserva natural

para o fim-de-semana.
Como vou já embora passar o fim de semana na Casa da Praia e vou pegar nos pincéis e tintas para tentar fazer mais umas borradas numa tela, aqui fica a imagem em antecipação do mais que provável resultado da pintura.
Tradução da legenda em italiano, que está na embalagem:

Merda d'artista
Conteúdo líquido 30 gramas
Conservada ao natural
Produzida e enlatada em Maio de 1961

... isto é o que se chama, uma relíquia de merda!

Sensacional Reposição

Ver Interpretes Hoje, Dia 4 de Março, pelas 22 horas.
No Salão de Festas da SFRAA, senscional reposição em cena da lindíssima Opereta "HÁ FESTA NO RIBATEJO".
Libreto original: Hermenegildo Rocha.
Direcção artística: Rufino Santos.
Intérpretes: (click no cartaz para ver) o extraordinário leque de artistas que compõem o elenco do Gupo Cénico da Soc. Filarmónica Recreio Artístico da Amadora.

Não perca a oportunidade de rever, os já consagrados nomes do meio artístico nacional, Francisco Luís, Júlio César, Carlos Garcez e muitos outros nomes bem conhecidos na Porcalhota: a Maria Amélia, a Maria Augusta, a Maria Alexandrina, o Diogo Matos, o Rogério Castelhano e ainda (espanto!!!) o Carlos Camacho e o Francisco José.

quinta-feira, março 3

Explicação dos Pássaros

Pandemia, Epidemia, tanto faz.

É igual ao litro, quando a Gripe das Aves cá chegar, de uma forma ou de outra, estamos tramados.
Opinião de AvesCruz, o amigo das avezinhas indefesas e desprotegidas em geral e muito em particular d'avezinha do 5º Esquerdo.
Outra preocupação do "amigo" é a Águia do SLB. Ele acha que não devia haver jogos Benfica/Beira Mar, porque são um grande risco para a saúde da Águia da Luz. E vais mais longe na teoria:
- está provado que é nos viveiros de aves (conhecidos também por aviários) que melhor se desenvolve o Vírus da Gripe das ditas.
- por isso, quando há suspeitas, isolam-se os viveiros, não sai de lá nada - Quarentena.
- em caso mais grave, acaba-se com toda a geração oriunda desse local.
- no extremo, podem mesmo ser definitivamente encerradas as instalações.
Ora bem, vejamos o raciocínio: Beira Mar = Aveiro = Viveiro de Aves = Perigo!
Portanto: proibir a equipa local de se deslocar para jogar fora - Quarentena; erradicar a equipa do campeonato nacional; interditar o estádio Municipal de Aveiro. Consoante a gravidade da situação.

Pandemia e Epidemia

A Gripe das Aves.
Opinião abalisada de um amigo (o AvesCruz), entendido - ou experto - nesta coisa de epidemias, pandemias e outras maleitas contagiosas, que afectam a saúde dos coitadinhos dos nossos amigos de penas vestidos:
Primeira reacção (a quente, com a caca do passarinho ainda a escorrer da cabeça para o casaco) - é muito bem feito para os cabrões dos animaizinhos voadores que nos cagam em cima sem sequer avisar nem pedir licença. Nem pedem desculpa, no fundo são uns cagões, têm a mania, cagam de alto.
Segundo pensamento (a seco, depois de secar o cabelo já lavado e ter esquecido a factura da lavandaria)- esquecidas as ideias revanchistas ou de retaliação, ele pensa que a melhor forma de evitar que a Pandemia da Gripe das Aves se transforme numa Epidemia será parar os Aviões. Estas aves, para além de serem as maiores de que há memória no Planeta, vivem em constante migração de um lado para o outro. Cruzam indiscrimidamente todos os continentes, poisa aqui, levanta, pousa acolá, ainda por cima com uma velocidade bestial. Ora está provado que esse é principal factor para disseminação rápida e descontrolada de qualquer doença contagiosa através do planeta.
Abaixo os aviões!!!

Para Connecticut

especial para pessoal de Hartford.
Esta foto tem algumas das coisas que gostei de ver (e viver) em New York em companhia do José Carranquinha.
1. aqui começa a ponte que nós mais vezes vemos nos filmes americanos, ao contrário do que toda a gente pensa, é a Queensboro Bridge, extraordinária ponte que liga o East Side a Queens (Long Island).
2. aqui vemos o terminal do grandecíssimo teleférico que acompanha a ponte até Roosevelt Island.
3. aqui está a limousine verdadeira banheira (e tem mesmo banheira lá dentro) estacionada em frente ao nº 333-E da 60ª Str. entre a 1ª e a 2ª Ave. (NYC), precisamente o Scores (dos Giants).
Graças ao Zé (que ainda não sabe porque levou com uma multa de $50 de estacionamento), foi GRANDE aquele dia em NYC, "THE BIG APPLE"!

quarta-feira, março 2

Construção SFRAA


Projecção do actual edifício Sede da Sociedade sobre a vista do espaço quase vazio após a limpeza das ruinas do anterior edifício do qual ainda se vêm os restos da boca de cena e cobertura do palco.
Queria escrever alguma coisa mais sobre esta imagem, mas a memória não deixa escorrer as palavras. Olho para a imagem e não consigo deixar de recuar no tempo. E penso:
- quem seria a mulher que vai a atravessar a pedro Franco?
- será que eu conhecia?
- será que eu estava por ali perto?
- ter-lhe-ei dado os bons-dias naquela hora?
- e o carro estacionado, era de alguém conhecido, quem seria?
- fantasmas?
- só duma coisa consigo ter a certeza, a pequena árvore em primeiro plano, cresceu e ainda lá está!

terça-feira, março 1

Ensaio da Banda

Em 26 de Julho de 1964, na Pedro Franco.

A Banda da Filarmónica começou cedo a ensaiar para a recepção e reunião do Pessoal da Porcalhota aquando do próximo encontro anual para Janeiro 2006. Isto é que foi antecipação.
A fotografia original é da autoria de um bom amigo de meus Pais, o Fernando Carvalho, que foi assim como que o fotógrafo oficial da família. Dono dos Estúdios M. Carvalhos (ainda existem) na Av. de Berlim em Lisboa.
Curiosidade sobre o ano de 1964:
-Brasil, Golpe de Estado de Março que instaurou a Ditadura Militar que durou até 1985.
-Brasil, Castello Branco é eleito Presidente da República que cria o Serviço Nacional de Informações (SNI), a polícia política.
-Nós por cá também tivemos um SNI com sede no Palácio Foz na Praça dos Restauradores em Lisboa (Portugal)
-e infelizmente também tivemos um Castello Branco eleito(?) pelo povinho para Conde da Quinta dos Anormais. Só falta agora ele concorrer às próximas eleiçoes para Chefe de Estado...

Está encomendada

para Janeiro 2006.
A carrinha ideal para o transporte do grupo para o próximo almoço / encontro do Pessoal em Janeiro de 2006 em Arganil, em casa do Taxu ou do Henedino.
Trazer esta coisa, que parece o UMM esticadinho, de Nova York até à Porcalhota é carote, mas com uma moderada quotização mensal de 100€ de cada um dos componentes do grupo, consegue-se - agora que o Dolar está muito barato.
Pior do que isso, difícil, mesmo muito complicado, vai ser arranjar uns não sei quantos (7 ou 8) lugares seguidos de estacionamento para isto parar na Pedro Franco e recolher o pessoal à porta da Sociedade.

Curiosos Crónicos

AUMENTAR Espalhados pelo Planeta.
Todos os dias vejo no Mapa que há alguns visitantes "online e offline" que já são habituais "curiosos" deste blog:
O 1º apareceu na Islandia e nunca mais desistiu (coitado, deve estar congelado); hoje há um novo "curioso" na Nova Zelandia; o da Indonésia, nunca o vi ligado (verde) mas está lá todos os dias o seu ponto vermelho, assim como na Malásia e em Taiwan; há um na Baía (será a Mel Lisboa?); e já perguntei ao Carranquinha se é ele o visitante do Connecticut (USA), mas não é.
Enfim, há outros sítios, uma dúzia, mas o curioso é que os "curiosos" não dizem nada, não fazem "comments". Se calhar não sabem Português e não percebem patavina do que aqui está escrito, só vêm os bonecos e já gozam.
Ó seus (meus) "curiosos", escrevam qualquer coisinha, vá lá, pode ser em qualquer língua (Catalão, ou até mesmo Brasiliês), eu traduzo para o Pessoal.
Please do comment, à vontade, feel free to comment, help yorself typing in some text here, s'il vous plait, faxavor. Thank you! Merci bien! You're welcome!